domingo, 12 de janeiro de 2020

Eva Gonzalès, 1849-1883, pintora impressionista francesa




Édouard Manet, 1832-1983   -^-   ‘Mlle EG’, 1869-1970


Início da vida




Eva Gonzalès nasceu em Paris e foi introduzida em sofisticados círculos literários e artísticos desde tenra idade por seu pai, escritor espanhol, naturalizado francês, Emmanuel Gonzalès.

Em 1865, aos dezesseis anos, Eva Gonzalès começou sua formação profissional e aulas de arte em desenho do retratista da sociedade Charles Joshua Chaplin, que também foi professor de Mary Cassatt. Quatro anos depois, Eva se tornaria pupila de Édouard Manet, em fevereiro de 1869.

Através das conexões de seu pai, como presidente fundador da Société des gens de lettres, ela conheceu uma variedade de membros da elite cultural parisiense e, desde tenra idade, foi exposta às novas ideias que envolviam arte e literatura na época .


Estudante de Édouard Manet

Eva Gonzalès é mais conhecida por ter sido aluna de Manet.

Tal como seu professor Manet, Eva nunca exibiu seus trabalhos com outros pintores impressionistas nas controversas exposições de Paris, mas ela é considerada membro importante do grupo devido ao seu estilo. Eva foi a única aluna formal de Manet e frequentemente modelou para diversos pintores da escola impressionista.

Dizem que Manet pintou o retrato dela de uma só vez, concluído em março de 1870, e exibido como ’Mlle EG’, no Salão de Paris naquele ano.

Infelizmente, seus trabalhos de estreia apresentados no Salon, também em 1870, foram ofuscados pela presença do retrato de Manet. No retrato Manet apresenta Eva trabalhando em um cavalete, mas sua postura rígida e seu vestido caro, são claramente impróprios para a criação de obras de arte.

Essa representação dela provavelmente fez com que alguns críticos a percebessem simplesmente como uma modelo jovem e decorativa, que estava trabalhando com um pintor masculino estabelecido.

 ‘Mlle EG’, de Manet, foi discutido mais do que a obra de Eva Gonzalès em sua própria retrospectiva de 1885, e na exposição de Galerie Dabe, em 1950.




O estilo de Eva se alinha muito ao do período espanhol de Manet. Pequenas mudanças foram feitas ao longo dos anos, pois suas formas de arte consistiam em disciplina com uma paleta sóbria. Os assuntos que ela escolheu usar eram uma representação da vida cotidiana, que foi profundamente decorrente da orientação de Chaplin.


EG, Retrato de Jeanne Gonzalès, 1869-1870


Durante 1871, Manet buscou a incorporação das cores mais brilhantes e superfícies ativas dos impressionistas em seu trabalho. Enquanto isso, Eva Gonzalès decidiu manter os esquemas de cores neutras, e os contornos precisos dos anos sessenta, deixando seus tons pastel em tons mais suaves, criando uma paleta mais clara para trabalhar.

O trabalho de Eva pode não ser considerado inovador, mas ainda possui charme e um senso de expressão pessoal sincera, que lhe confere um valor significativo.

Apesar de associar-se à aluna de Manet, seu trabalho ainda carrega significado, e progride numa direção que se alinha perfeitamente com seu temperamento.






Fonte: WP e Dvs



(JA, Jan20)


Nenhum comentário:

Postar um comentário